Mulungu. Uma das bebidas mais populares do mundo, o café, será o principal aperitivo para o fortalecimento econômico e turístico no Maciço de Baturité, uma formação geológica com muitas cachoeiras, rios e vestígios de Mata Atlântica, onde estão situadas as cidades de Baturité, Guaramiranga, Pacoti e Mulungu. Elas formam a Rota do Café Verde, especialmente traçada pelo escritório regional do Serviço Brasileiro e Apoio às Pequenas e Micro Empresas (Sebrae) como mais um equipamento de promoção e aquecimento da economia serrana.

Lançamento

O projeto foi lançado na Pousada Le Revê, em Mulungu. Conforme a articuladora regional do Sebrae, Fabiana Gizele Moreira da Costa, além de fortalecer a cadeia econômica dessa especiaria, outrora uma das principais na região, a Rota do Café Verde busca a sustentabilidade para produtores e comerciantes, como também oferecer e fortalecer o turismo histórico e ambiental nestes quatro municípios. Além do plantio, da colheita, a comercialização dos grãos especiais para venda ou consumo nas casas especializadas, pousadas, hotéis e restaurantes, conhecer seus protagonistas será interessante.

A Rota pretende atender à demanda do turismo espontâneo, como um novo atrativo para o visitante já hospedado, e incentivo à chegada de grupos direcionados à Rota, de forma a desenvolver a região com o fortalecimento do empreendedorismo.

Dentre as premissas para o desenvolvimento da Rota do Café Verde estão a busca pela excelência da qualidade dos produtos e serviços ofertados, o incremento de negociação do turismo local com a apropriação dos valores intrínsecos do “Café de Sombra”, o compromisso com a preservação ambiental e valorização histórico-cultural e ainda o fomento da cafeicultura de sombra, considerada ecologicamente correta, contribuindo com a melhoria na qualidade dos processos de plantio, torra e armazenamento, envase, rotulagem e embalagem.

Foram selecionados oito atrativos para a rota especial sendo eles: o Mosteiro dos Jesuítas e a Estação Ferroviária, em Baturité; o Sítio Rio Negro, a Fazenda Floresta e a chocolataria Chocoberry em Guaramiranga; o Sítio São Luiz em Pacoti e o Sítio São Roque e a Pousada Le Revê em Mulungu. Juntos formarão a cadeia sustentável, da produção ao recolhimento de dividendos, tendo como foco a iguaria especial, o café verde, sombreado ou agroecológico. Os sítios voltam a cultivar os grãos da espécie arábica, a pousada e a chocolataria incluem na lista de compras e o Sebrae presta a assessoria para a consolidação da cadeia.

Para convencer os proprietários dos sítios e os empresários a aderirem à Rota, o Sebrae rememorou os tempos áureos de produção de café no Maciço de Baturité. Coado, expresso, misturado, inventado, consumir café é tradição e geração de riquezas, sem dúvida, um dos produtos mais importantes da história nacional. Movimenta milhões de sacas exportadas ao ano, respondendo por um terço da produção mundial. Atualmente é a bebida preparada mais consumida no Planeta, sendo servidas cerca de 400 bilhões de xícaras por ano. O tipo de café mais comum é o arábica, ocupando cerca de três quartos da produção mundial.

No Ceará, o Maciço de Baturité se destaca pela tradição na produção de café sombreado, de importância ambiental e socioeconômica que já chegou a exportar toneladas. Desde 2013, o Sebrae Regional aplica o Programa Café Verde na região. Por meio dele busca o desenvolvimento sustentável da cafeicultura local com ações que procuram garantir a recuperação e a conservação dos recursos naturais. A valorização da identidade cultural, do patrimônio histórico e de modelos sustentáveis de produção também são considerados.

Cabe ao Programa disponibilizar apoio técnico e soluções inovadoras e eficientes para garantir um impacto ambiental positivo. É no clima da serra, à beira dos cafezais, que o Sebrae Ceará promove a Rota do Café Verde, reunindo os quatro municípios remanescentes da cafeicultura de sombra. Nesse caminho estão as plantações de café em meio à Mata Atlântica, os processos de torra e moagem, circundados pelas belas fachadas históricas dos casarões centenários com suas poltronas de palha e brocados onde ainda moram o cheiro e o sabor de suas raras sementes. Essas riquezas podem ser conhecidas numa boa conversa com as antigas famílias produtoras da região em seus jardins repletos de flores e pássaros, acompanhada de um bom cafezinho, acrescenta a articuladora do Sebrae.

Mais informações:
Sebrae Baturité
Av. 7 de setembro, 961 – Centro
(85) 3347-1570

Alex Pimentel
Colaborador

Fonte:
http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/regional/rota-pretende-aquecer-economia-1.1288124